IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2018 ano calendário 2017.

08 mar IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2018 ano calendário 2017.

 

 

Ref.:  IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA 2018 ano calendário 2017.

 

Prezado Cliente,

Como já é de seu conhecimento, nós temos um serviço destinado à preparação da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF), cujo principal objetivo é mantê-lo seguro de que, sua  declaração  manterá  consistência  e  terá  os  riscos  de  cair  na  malha fina  reduzidos.

 

Assim como fazemos todos os anos, os documentos podem ser enviado para o e-mail:  contabilidade@jlviana.com.br

 

Repassamos a seguir relação da documentação necessária para elaboração da Declaração de Imposto de Renda pessoa física deste ano.

 

 

DOCUMENTOS

• CPF.  (A partir deste ano, será exigido CPF para crianças a partir de 8 anos)

• Título eleitoral.

• Comprovante de endereço.

• Cartão do banco para informar a agência e conta da restituição ou débito.

• Cópia da declaração do ano anterior facilita o preenchimento deste ano.

• Telefone.

• E-mail.

 

INFORME DE RENDIMENTOS DO EMPREGADOR

• É o documento-chave da declaração para os trabalhadores, no qual estão rendimentos, contribuições ao INSS e Imposto de Renda retido na fonte, por exemplo.

• A empresa o fornece ao empregado impresso ou por rede interna na qual os empregados têm acesso.

• Quem se desligou da empresa em 2017, se não recebeu, deve contatar a área de recursos humanos do antigo empregador.

 

INFORME DE RENDIMENTOS DO BANCO

• Os bancos enviam informes de rendimentos pelos Correios ou oferecem via internet. Quem não tiver acesso à rede ou não recebeu o documento deve solicitá-lo na agência.

• Se a conta na instituição acabou em 2017, é preciso ir ao banco para obter o informe relativo ao período em que era correntista.

 

INFORME DE RENDIMENTOS DE CORRETORA

• Quem usou serviços de corretoras precisa ter recebido o informe anual contendo o saldo em cada aplicação e os rendimentos.

• É preciso entrar em contato com a empresa se isso não tiver acontecido.

 

COMPROVANTES DE DESPESAS COM SAÚDE

• Não há limite para deduzir gastos com saúde no IR, mas tudo precisa ser comprovado com recibo ou nota fiscal.

• Nesses documentos, deve estar a razão social da empresa ou o nome do profissional, CNPJ ou CPF, endereço do estabelecimento, serviço realizado, nome completo do paciente e valor.

• Se o contribuinte esqueceu de pedir recibo ao profissional, deve procurá-lo.

 

COMPROVANTES DE DESPESAS COM EDUCAÇÃO

• Quem teve despesas com escola, faculdade, pós-graduação ou ensino técnico deve reunir os documentos que detalham os pagamentos.

• As instituições emitem comprovante com o resumo do valor pago no ano. Caso o recibo não tenha sido entregue, deve solicitar à instituição.

• Gastos com material escolar e atividades extracurriculares, como escolas de línguas ou cursinhos preparatórios, não entram na dedução.

 

DOCUMENTOS DO IMÓVEL

• É preciso declarar imóvel no item “Bens e Direitos”. O valor pago deve ser informado. Ele está no contrato (documento deve ser guardado por tempo indeterminado).

• No financiamento, se informa o total pago até 31/12/2017, não o valor total do imóvel, que ainda está alienado.

• O financiador deve informar os valores pagos e a vencer. Isso geralmente está no extrato anual fornecido.

• A Caixa Econômica Federal, responsável por 70% desse mercado no país, oferece a consulta das parcelas pagas por meio do site www.caixa.gov.br/voce/habitacao. Isso também pode ser feito nas agências.

 

COMPROVANTES DO INSS  DE DOMÉSTICOS

• Com empregado doméstico de carteira assinada, as guias do INSS ou comprovantes on-line das contribuições devem estar na mão.

• Essa despesa se enquadra entre as dedutíveis do valor do imposto devido.

 

COMPROVANTES DE PROCESSOS JUDICIAIS

• Quem recebeu dinheiro de ações na Justiça deve reunir os comprovantes dos valores.

• Pode-se buscar esse comprovante junto à empresa no caso de uma ação trabalhista vencida.

• Também é possível usar as informações do processo. É importante conversar com o advogado.

 

COMPROVANTES DE ALUGUEIS

• Quem paga ou recebe aluguéis precisa colocar os valores na declaração. No caso de quem recebe, será colocado como rendimento.

• O inquilino pessoa jurídica é quem deve entregar o informe de rendimentos ao dono do imóvel.

• Caso seja inquilino pessoa física, com aluguel pago direto para o proprietário, os depósitos bancários valem como comprovação.

• Se uma imobiliária administra o imóvel, ela pode fornecer histórico dos aluguéis pagos. Também é possível pedir cópia do documento que a imobiliária entrega à Receita, a Dimob (Declaração de Informações sobre Atividades Imobiliárias).

 

COMPROVANTES DE DOAÇÕES

• Contribuições que se enquadram nas regras de doações com incentivos fiscais podem ser abatidos do imposto devido.

• O documento de doação ou comprovante do depósito serve para a Receita.

• Caso não se tenha esses documentos, devem ser solicitados junto à entidade beneficiada desde que se enquadre nas regras da Receita.

 

GUARDE TUDO POR ATÉ 6 ANOS

• A recomendação é de que essa documentação seja guardada por seis anos pelo contribuinte.

• Isso porque o prazo que a Receita tem para requisitar comprovação, que é de cinco anos, começa a contar no ano seguinte.

 

Nenhum comentário

Postar um comentário